sexta-feira, 7 de maio de 2010

Como pode atuar um filósofo numa empresa? I

Certamente esta não é uma dúvida típica de um empresário. Tampouco deve ser respondida por ele. Esta é uma daquelas questões que o próprio filósofo deve pensar e responder. Fácil, um filósofo dever ser genuinamente um pensador e a isso não deveria opor-lhe nenhuma dificuldade. Todavia creio que muitos são os filósofos que se acotovelam em concursos públicos, buscam uma vaga de docente, ou procuram escrever algo que possa render-lhe sustento prático, para que possa, então, liberar seus pensamentos das tolices diárias e concentrar-se em especulações filosóficas de maior valor! Com essa postura se acentua o abismo entre a vida cotidiana e a filosofia. De um lado, o dia a dia das pessoas comuns, atribulada pelas suas dificuldades diárias, suas angustias e mazelas, sem entender como alguém pode dedicar tanto tempo e esforço a leitura de livros poeirentos escritos por pessoas tão distantes de nossa realidade. De outro, os filósofos ocupados em especulações da mais alta importância e que requerem um alto grau de abstração para sua compreensão. Abstração tal quase inacessível a maioria das pessoas comuns.
De um lado os primeiros, entre uma e outra cerveja do seu happy hour acreditando que os filósofos perdem seu tempo à toa. De outro, estes menosprezando os comuns, lançando a pecha de alienados. Com esse vazio, que só não é mais vazio, pois abriga uma ou outra pedra atirada de qualquer um dos lados, o filósofo acaba por reduzir seu campo de atuação a poucos redutos intelectuais e a vida cotidiana perde grande oportunidade de crescimento e ganho de profundidade, ficando à mercê das ideologias consumistas que o aprisionam em seus crediários e cartões de crédito.
Não distante de tudo isso, aproveitando a vantagem de algumas legislações demagógicas, muitas empresas investem alguns milhares de Reais em ações sociais ou em investimentos voltados à sustentabilidade. Válido, desde que bem orquestrado! Todavia vemos que algumas empresas visam muito mais o marketing institucional que podem retirar dessas ações do que sua real preocupação com o social ou a sustentabilidade. Filósofos de plantão facilmente ofereceriam essa denuncia, mas como orquestrar ações nesses sentidos de modo a produzir sustentabilidade, produzir inclusão social? Essa, certamente seria uma boa questão para ser resolvida dentro do âmbito da filosofia. Conciliar ações sociais e de meio ambiente e retirar dessas além de seu próprio valor intrínseco, também algum dividendo institucional que renderia um gozo a mais para o empresário e não somente mais um aborrecimento.
Muitas vezes as ações pedem a valorização do indivíduo incluindo-o e tratando-o de modo mais humano. Todavia, a rota contrária facilmente se revela quando uma crise qualquer assola os acionistas. Ante ao menor risco, o primeiro passo é engordar as fileiras dos desassistidos e demitir sumariamente, sobretudo, aquela camada mais epidérmica do seu quadro de colaboradores. Quando não incluindo e excluído ao mesmo tempo. Incluindo para melhorar sua imagem junto aos seus clientes e excluindo para equilibrar o balanço. Ações descompassadas e que geram ambigüidade. O ex-empregado entristecido vendo a propaganda de ações sociais de inclusão de quem o acabou de excluir.
Esta matéria, tanto quanto outras que virão na sequência, tem por objetivo apresentar novamente o valor do filósofo para a vida comum, bem como apresentar ao filósofo o quanto este pode ser útil, produtivo e bem recompensado com seu pensamento.

9 comentários:

  1. Desculpe a resposta somente agora, mas o blogspot nao avisa quando postam comentarios.
    Se ja trabalhei em empresas.
    somente por 33 anos de minha vida. E nas maiores do Brasil e do mundo. Conheço cada dificuldade do mundo corporativo. dificuldades de feedback, tomada de decisao, dificuldades emocionais. e para cada uma dessas doenças eu criei um curso que auxilia a "cura". Muitas empresas não querem ser curadas, mas apenas tomar um remedinho!

    ResponderExcluir
  2. Sobre o blogspot te avisar sobre as postagens, vá no painel, configurações, comentarios. Lá em baixo da pagina tera uma opção de inserir emails para notificação de comentarios. Colocando o seu, você recebe as notificações. Mas duvido muito que algum dia veja este meu comentario, mas caso veja, espero ter ajudado.

    ResponderExcluir
  3. Oi Leandro, fiz isso ,mas o danado do blogspot me avisa quando eu posto alguma coisa, mas quando alguem posta comentário não avisa... vou tentar ver se existem alternativas diferentes.. isso faz muita falta pra mim.... obrigado

    ResponderExcluir
  4. Oi Jadir, sou formado em Filosofia e gostei muito da sua linha de pesquisa de mestrado. Gostaria de trocar algumas informações com você. Valeu, Narciso

    ResponderExcluir
  5. Oi Narciso,
    obrigado pelo comentário. Podemos falar via email: jadirmg@yahoo.com.br

    Fique a vontade.

    Abraços

    ResponderExcluir
  6. Olá, Jadir,

    Escrevi um artigo que gostaria que conhecesse, para quem sabe iniciarmos um diálogo:

    http://www.unipress.blog.br/filosofia-e-mundo-corporativo-da-livre-iniciativa-a-responsabilidade-socio-ambiental/

    Abraço!

    ResponderExcluir
  7. Ola Ms. Jadir. Sou graduado em Filosofia e Teologia, estou lendo o excelente livro Filosofia nas empresas, pela editora Paulus, de sua autoria. O mesmo esta servindo de inspiração para um aprofundamento de temas relacionados ao assunto que é nele apresentado. Parabéns pela iniciativa. Sucesso, alegria e perseverança.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo apoio. Em breve retomaremos o programa de rádio Filosofia nas empresas, com discussões sobre o tema e também organizaremos um novo livro feito não apenas por mim, mas pelos debatedores do programa de rádio. Assim teremos não apenas uma visão particular, mas uma exposição de um debate mais amplo e de outros temas.

      Excluir